Ministérios Gerais na Igreja

Sete Causas para o Pastor apoiar os Ministros Gerais na Igreja

(1)estão fazendo o que eu teria que fazer se não estivessem conosco

(2)são ministros de Deus e como tais devem ser tratados com honra

(3)se permito a igreja maltratá-los, estarei treinando-a contra mim mesmo

(4)a igreja sai ganhando muito quando estão atuando com prazer

(5)cada um sou eu na busca, incentivo e treinamento de pessoas nas funções

(6)chamamos cada um para ser bênção, e sermos bênçãos em suas vidas

(7)é uma das responsabilidades que Deus espera que eu cumpra

.

.

.

Sete Papeis que um Ministro Geral deve exercer na igreja

(1)ser crente, membro da igreja, apaixonado e responsável com sua missão

(2)ser exemplo de fidelidade, presença e pontualidade na vida da igreja

(3)ter respeito, carinho, atenção e apreciação com seus liderados e os outros

(4)assumir e viver as Sete Funções do Ministro Geral na vida do Ministério

(5)incentivar e cooperar para que a paz e a harmonia dirijam a igreja

(6)comandar o respeito e o melhor juízo no trato com e sobre os outros Ministros Gerais

(7)valorizar e homenagear a liderança leiga até nas falhas cometidas no agir

.

.

.

Sete Assertivas do Pastor aos Ministros Gerais na Igreja

(1)“Se aspira o episcopado, excelente obra deseja” 1Tm.3:1

(2)nosso primeiro objetivo, cumprir a missão que Deus nos entregou nesta igreja

(3)nosso segundo objetivo, levar o povo desta igreja a ser abençoado através de nós

(4)fazer o que Deus nos manda, já é uma grande obra a ser feita

(5)querer ir além, fazer muito mais, nos tira do status de “inútil” Lc.17:10

(6)preservemos os ministérios, isso tem evitado muitas celeumas, cada um em sua área

(7)preservemos o Regimento Interno, ele tem delimitado e dado muita liberdade de ação

.

.

.

Sete Funções (I) do Ministro Geral na vida do Ministério Geral

(buscar e ajudar pessoas, para que o Regimento Interno seja cumprido)

(1)Arregimentando criteriosamente, pessoas para as responsabilidades do Ministério

(2)Pastoreando espiritualmente, a cada uma em suas necessidades

(3)Orientando particularmente, sobre a função de cada uma dentro da vida do grupo

(4)Equipando ostensivamente, cada uma no que deve fazer bem para Deus

(5)Monitorando permanentemente, no que estão fazendo para o todo

(6)Incentivando biblicamente, a fazerem o melhor que podem, buscando até ajudas

(7)Informando periodicamente, ao Pastor da igreja sobre a obra que todos estão realizando

.

.

.

Sete Funções (II) do Diretor de um Ministério Geral

(liderar seu grupo a cumprir o que a igreja espera, pelo Regimento Interno)

(1)responsável principal pela Comissão ou Ministério

(2)buscar o cumprimento do Regimento Interno, pelas Equipes de Atuação

(3)facilitar o desempenho dos seus respectivos Ministros Gerais

(4)promover a edificação de todos os seus liderados

(5)encontrar meios de superar dificuldades financeiras com seus tesoureiros

(6)alcançar o número ideal de crentes atuando em seu ministério

(7)indicar coerentemente, como testemunho, os “colunas da igreja” entre seus liderados

.

.

.

Sete Funções (III) de um Ministro em seu Ministério Particular

(ser obediente, dedicado e exemplar no ministério que Deus lhe entregou)

(1)ser comprometido com os Requisitos de Admissão na Igreja

(2)ser envolvido num grupoEBD e em seus objetivos gerais

(3)ser subordinado e ajudador da liderança do seu Ministério Geral

(4)no Regimento Interno, especificar com Ministro Geral os objetivos e limites do seu ministério

(5)buscar mais pessoas que desejam o mesmo ou queiram lhe ajudar

(6)independente das dificuldades, cumprir seu ministério com todo desvelo e amor

(7)ter um caderno de registros para relatar suas atuações semanais em seu ministério

.

.

.

Sete Razões para servir a Deus num Ministério

(1)glorificar a Deus através do meu serviço em Seu Reino

(2)manifestar minha gratidão eterna por tudo, inclusive minha salvação

(3)demonstrar que valeu a pena o investimento vicário que fez por mim

(4)mostrar-me um membro presente, prestável e bênção no Corpo do Senhor

(5)deixar-me usar pelo Senhor objetivando a edificação da igreja e de meus irmãos

(6)sentir-me interessado, realmente, em agradar o coração de Deus

(7)desejar chegar ao status de “servo inútil” que só fez o que lhe foi mandado

.

.

.